A Sociedade Botânica do Brasil (SBB)

É uma associação civil sem fins lucrativos que congrega botânicos estudantes, profissionais, amadores e simpatizantes de todo o país e do exterior.

A Sociedade, criada em 9 de janeiro de 1950, é uma Associação Científica, Cultural e Educacional. Tem por finalidade desenvolver a Botânica e ciências correlatas, visando à ampliação do conhecimento sobre a flora brasileira, o incentivo à formação de recursos humanos em Botânica, bem como fornecer subsídios, dados e parâmetros para a tomada de decisões e políticas de meio-ambiente que envolvam os diferentes ecossistemas do Brasil e sua cobertura vegetal.

N O T A

O Conselho Superior da Sociedade Botânica do Brasil (CS-SBB) vem a público manifestar seus descontentamento e repúdio aos posicionamentos e deliberações do Ministério do Meio Ambiente com relação à preservação e manutenção de nossas reservas naturais. A forma com que o Ministro Ricardo Salles tem tratado as instituições, como o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), demonstra sua falta de compromisso com o diálogo e com a gestão democrática. Sua falta de atenção com as invasões de terras indígenas, a grilagem de terras por madeireiros e garimpeiros, o desmatamento desordenado, o avanço sem planejamento das fronteiras agrícolas e uso desmedido de defensivos agrícolas não faz jus a uma pasta que deveria zelar pela nossas reservas e patrimônios genéticos de fauna e flora.

Como pesquisadores da biodiversidade vegetal, os integrantes deste Conselho manifestam sua preocupação com as decisões manifestadas pelo Ministro.

Somados a projetos apresentados desde 2019, nós e a sociedade recebemos, com a divulgação da Reunião Ministerial ocorrida no dia 22/04/2020 com a Presidência da República, a exposição explicita do desrespeito e do preconceito do Ministro do Meio Ambiente ao se referir aos povos indígenas e povos ciganos de nosso país, que têm como seu maior patrimônio a diversidade de povos, culturas, fauna e flora.

O oportunismo e descaso com o bem público, reforçados na reunião ministerial de 22 de abril, ao sugerir ao Presidente da República que, como gestores, deveriam aproveitar o momento de concentração na pandemia da covid-19, pela imprensa e pela sociedade, para “deixar passar a boiada” e assim, aprovarem projetos e medidas que só tendem a reduzir o cuidado e a preservação ambiental, e falta de compromisso com o Brasil.

Estamos acompanhando desmatamentos avassaladores sem a presença da fiscalização e contenção Federal ou dos governos estaduais e municipais em nossas áreas de matas nativas.

Assim, é urgente que a sociedade cobre uma retratação do Ministro do Meio Ambiente e que esse órgão excute sua missão primeira de zelar pelas nossas riquezas naturais.

Conselho Superior da SBB
Brasília, 27 de maio de 2020